A origem do Kung Fu

A origem do Kung Fu diferente de algumas artes marciais, vem desde a época pré-histórica o homem aprendeu a se defender dos predadores com paus, pedras e galhos. Com o passar dos tempos surgiram as tribos e suas técnicas evoluíram para as tribos enfrentarem seus inimigos. Uma das coisas mais importantes foi o surgimento das danças rituais, onde os homens imitavam os movimentos dos animais.

Quando Qin Shi Huang conseguiu conquistar toda a planície chinesa e formar o primeiro império, algumas coisas muito importantes aconteceram, entre elas: a junção das muralhas dos antigos reinos na grande muralha da China, a proibição da prática das artes marciais e o recolhimento das armas, que até então eram a espada, o arco e flecha, a foice e a lança.

O povo começou a desenvolver danças e a praticar as artes marciais para se apresentar em festas e a desenvolver armas que não pareciam armas à primeira vista.

Depois a China foi repartida em 3 reinos e num deles surgiu um grande guerreiro chamado Kuan Kun, que mais tarde foi reconhecido como o deus da luta e hoje é reverenciado como o protetor dos praticantes das artes marciais chinesas.

No fim do século V foi construído ao norte o templo Shao Lin, fundado por Bordidarm, que teve um papel importantíssimo no desenvolvimento do Wushu e até hoje é uma grande referência. Os chineses do norte precisavam estar constantemente em alerta por causa dos ataques mongóis. O mestre Ge Hong combinou métodos de manter uma boa saúde, exercícios de pensamentos e de Qi para realizar uma prática completa entre os cuidados com o corpo e a mente. Nesta época o budismo entrou na China e se difundiu rapidamente. Muitos templos foram erguidos e muitos jovens se tornaram monges. Esses templos eram centros de revolução contra o governo e a maioria dos monges eram guerreiros.

Durante a dinastia Song as guerras se intensificaram e muitas novas armas foram criadas e o facão sofreu varias mutações. Entretanto nesse período houve grande prosperidade econômica e as artes marciais tiveram seu lugar como entretenimento do povo sedimentado. Outros métodos também foram aperfeiçoados como o Qi Gong (Chi Kung), o Shuai Jiao e o Nei Gong , práticas para o fortalecimento da mente e órgão internos.

No século XI as lutas livres se tornaram um evento, sendo realizadas em palcos. No século XIV se deu início a dinastia Ming e a formação do sistema que conhecemos hoje. Surgiram as formas definidas e os estilos diferentes. Desse período há registros de formas de macaco, garras de águia e muitas outras. Formas de mãos vazias e armas curtas, longas e flexíveis foram bem definidas e conhecidas como Tao Lus (katis).

Nessa época as artes marciais atraíram milhares de pessoas e eram praticadas como diversão por homens, mulheres e crianças. Muitos livros surgiram nesse período entre as dinastias Ming e Qing. O Tai Chi surgiu marcando a integração perfeita entre as técnicas de combate e os exercícios para a mente.

No século XV, com o amplo uso das armas de fogo, o Wushu passou a ser uma arte popular e grandes estilos foram criados como o Ba Gua e o Mei Hua.

No século XX, durante a república, que durou 38 anos, o Wushu sofreu mudanças traumáticas. O Wushu se tornou um esporte nacional e ensinado nas escolas como educação física. Surgiu nessa época o Instituto Espírito Marcial que tinha como objetivo eliminar as famílias e estilos e divulgar o Wushu. Em 1929 ele possuía 42 filias pela Ásia com 400 mil membros. Após a revolução socialista, muitos mestres imigraram da China para outros países da Ásia e Europa para manter aspectos tradicionais da arte marcial. Nessa época foi documentada a existência de 332 modalidades e o Wushu foi classificado como herança cultural com finalidade esportiva.

Em 1958 foi fundada a Associação Nacional de Wushu e editado o primeiro manual de regras de competição de Wushu. Elas eram muito restritas e não contribuíam para as artes tradicionais. Isso recuperou o que estava sendo extinto e muitos mestres foram perseguidos e assassinados, livros foram queimados, escolas foram fechadas, equipamentos quebrados e competições canceladas.

No fim do século passado muitos pesquisadores saíram atrás dos tesouros perdidos e muito do que foi perdido foi restaurado. Hoje mais de 60 milhões de chineses praticam Wushu. Com a formação da federação internacional, muitos países começaram a participar da comunidade e das competições. Desde 2000 a China quer incluir o Wushu como modalidade olímpica internacional e até hoje nada foi definido.

Abaixo algumas imagens sobre a origem do kung fu